WeCancer e Wecare Skin: startups fazem parceria para ampliar cuidados de pacientes oncológicos

Cada uma de sua maneira, as startups WeCancer e Wecare Skin são grandes aliadas dos pacientes que estão enfrentando o tratamento contra o câncer.

Fundada por César Filho e Lorenzo Cartolano em 2017, a WeCancer é uma solução digital desenvolvida para auxiliar pacientes em tratamento — não só dentro dos hospitais. Na plataforma, é possível registrar sintomas, responder diariamente questões sobre bem-estar e, se for necessário, receber na hora ajuda de profissionais da saúde, entre outras funcionalidades.

Já a Wecare, liderada por Cris Bertolami, Elaine Moraes e Tamara Azevedo, oferece uma linha de produtos dermocosméticos, de cuidado da pele, para quem está passando por quimio ou radioterapia. É comum que esses tratamentos causem lesões de pele tão graves que precisem ser interrompidos. As soluções da startup são capazes de ao menos aliviar esses sintomas para que o paciente possa continuar com as sessões — em um estudo clínico realizado pela própria empresa, em 75% dos casos houve melhora nos machucados, e ninguém precisou paralisar o tratamento.

Outro ponto em comum é que as duas healthtechs fazem parte do ecossistema aqui da Eretz.bio.

Aliás, foi em um evento em nosso espaço de coworking, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, que WeCancer e Wecare deram o pontapé inicial de uma parceria que beneficia ainda mais os pacientes oncológicos. 

“Teve um evento na Eretz, e a Cris [Bertolami] me procurou: ‘Você que é o César, da WeCancer?’. Eu já conhecia o trabalho da Cris e acho ela uma baita empreendedora. Sou muito fã de gente que quer resolver os problemas. Aí conversamos no coffee break e decidimos trabalhar juntos”, recorda o CEO da WeCancer. 

“A gente já estava há tempos para marcar essa reunião”, diz Bertolami, da Wecare Skin. “Quando nos sentamos, percebemos que nossos negócios tinham tudo a ver. A gente trabalha com os mesmos pacientes, com os mesmos stakeholders — hospitais, etc. Nessa reunião, fizemos uma lista de possibilidades de parcerias e como iríamos realizá-las”. 

Como é a parceria das startups WeCancer e Wecare Skin

A colaboração atua em diversas frentes, e uma delas é a divulgação dos serviços das startups aos pacientes uma da outra. Por exemplo, quem clicar em um banner no aplicativo da WeCancer tem direito a desconto nos produtos da Wecare. Já quem adquirir as soluções da startup de Bertolami recebe um folder explicando os cuidados oferecidos pela plataforma desenvolvida pela empresa de César Filho. 

Aí todo mundo sai ganhando. Pacientes das duas startups passam a ter acompanhamento pelo aplicativo e, caso estejam lidando com lesões na pele, têm acesso rápido aos produtos dermocosméticos. Além disso, as duas empresas ampliam seu alcance e podem conquistar novos clientes. 

“Já tivemos o caso de uma usuária da WeCancer que começou a fazer radioterapia, o que foi causando rachaduras na pele dela, eram uns sulcos bem complicados. Ela nos avisou pelo app que o machucado estava piorando. Nossa equipe percebeu o risco e indicou a Wecare. A paciente adquiriu os produtos da nossa parceira, começou a usar e sarou das rachaduras”, conta César. 

Também há, na parceria, colaboração e divulgação de conteúdo nas redes sociais das duas startups. Além disso, planejam ações como lives, elaboração de guias e cartilhas para pacientes oncológicos e um levantamento feito a partir dos reports feitos pelos usuários do app da WeCancer de lesões na pele, como rash (efeito tóxico da quimioterapia, que deixa a pele seca e coçando muito) e síndrome mão-pé (inchaço e vermelhidão que podem até mesmo impedir a pessoa de se locomover). 

A princípio, a parceria vai até o fim de 2022, quando as startups vão avaliar os resultados obtidos, mas a porta já está aberta para a renovação. 

“Trabalhar junto é unir forças. Em uma empresa grande, parcerias como a nossa são mais complicadas por causa de compliance. Em startups, a gente decide rápido, tem mais flexibilidade e vai avaliando como uma pode ajudar a outra”, avalia a CEO da Wecare. 

“Um de nossos mentores fala que juntar as startups assim é o mais importante que uma incubadora, como a Eretz, pode fazer. Por isso, é fundamental a gente se mexer e aprender com quem já enfrentou ou está enfrentando os mesmos problemas”, acrescenta. 

O CEO da WeCancer concorda. “Já estou na incubação da Eretz há um pouco mais de tempo e tive o prazer de a minha mesa no espaço de coworking uma época ser em frente à do Pedro Gemal, da Pebmed [startup incubada no início da Eretz.bio e adquirida pela Afya em 2020]. Ele montou uma baita empresa, que criou o Whitebook, app referência para médicos, e eu aprendi muito com ele. São trocas assim que vão acontecendo”, completa. 

Achou interessante a parceria entre a WeCancer e a Wecare Skin? Então clique aqui para conhecer as startups incubadas na Eretz.bio: https://eretz.bio/startups 

Cristianne Bertolami e Elaine Moares, da Wecare Skin, e Lorenzo Cartolano e César Filho, da WeCancer

Newsletter

Would you like to be updated on what happens in Eretz?